sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Tom Lefroy e Jane Austen

O filme "amor e inocência" despertou minha curiosidade sobre Thomas Lefroy. Por isso, resolvi pesquisar sobre ele.
Thomas Langlois Lefroy (08 de janeiro de 1776 - 4 de Maio 1869) foi um irlandês - huguenote político e juiz.
Em 1796, Lefroy teve um flerte com Jane Austen, que era amiga de um parente seu. Ela o menciona em duas cartas  escritas à sua irmã Cassandra
mas, não há evidências claras de que tenha sido algo realmente sério, como apresentado no filme "Amor e inocência". Sempre teremos esta dúvida.
Os fatos são que Austen e Lefroy, conheceram-se em um baile, quando ele visitou Steventon de dezembro de 1795 a janeiro de 1796.  Ele tinha acabado de terminar um curso universitário e estava se mudando para Londres para treinar como um advogado.
Jane escreveu à irmã Cassandra: "estou quase com medo de dizer como eu e meu amigo irlandês nos comportamos. Imagine tudo de libertino e chocante na maneira de dançar e sentar juntos." A família Lefroy interveio e mandou-o embora, no final de janeiro. O casamento era impraticável, já que nenhum deles tinha dinheiro, e ele estava dependente de um tio-avô em Portugal para financiar a sua educação e estabelecer sua carreira jurídica. Se Tom Lefroy depois visitou Hampshire, ele foi mantido afastado de Austen, e Jane Austen nunca mais o viu.
Alguns sugerem que Jane tenha se inspirado nele para criar o Sr. Darcy, o que é razoavel, já que o livro foi escrito na mesma época dos acontecimentos descritos acima.
Veja alguns trechos das cartas de Jane Auten a sua irmã, onde ele é mencionado:

"Você me censurou tanto na carta longa e agradável que, neste momento recebi de você, que eu estou quase com medo de dizer como meu amigo irlandês e eu nos comportamos.  Imagine tudo de libertino e chocante na maneira de dançar e sentar-se juntos. Eu posso me expor no entanto, só mais uma vez, porque ele deixa o país logo após a próxima sexta-feira, dia em que vamos ter uma dança em Ashe, afinal. Ele é muito cavalheiro, de boa aparência, um homem agradável jovem, eu lhe garanto. Mas tendo jamais o encontrado antes, exceto nos três bailes passados, eu não posso dizer muito, porque ele tão excessivamente riu de mim em Ashe, que ele tem vergonha de vir a Steventon e fugiu quando nós chamamos a Sra. Lefroy há poucos dias.
. .
. . . . "Depois que eu tinha escrito o acima, recebemos a visita do Sr. Tom Lefroy e seu primo George. O último é realmente muito bem-comportado, e quanto ao outro, ele tem apenas uma falha, que o tempo irá, espero, remover totalmente - que é o seu fraque, extremamente claro. Ele é um grande admirador de Tom Jones e, portanto, usa a mesma roupa colorida, eu imagino, que ele usou quando foi ferido."
 
Em uma carta que começou na quinta-feira (14 de janeiro de 1796), e terminou na manhã seguinte, havia outra menção a ele.
"Finalmente o dia chegou em que flertarei pela última vez com Tom Lefroy e quando você receber esta carta, tudo terá acabado. Minhas lágrimas correm enquanto escrevo diante da idéia de melancolia."
Quando soube da morte de Jane Austen, Tom Lefroy viajou de Portugal para a Inglaterra para prestar suas homenagens à escritora britânica e, coincidência ou não, o nome de sua filha mais velha, era realmente Jane.
Em seus últimos dias de vida, Thomas Lefroy, confessou ao sobrinho, ter amado Jane, embora tenha dito ser um amor de menino.
Veja um trecho de uma carta escrita pelo sobrinho de Lefroy:

"Meu falecido e venerado tio... disse em tantas palavras que ele estava apaixonado por ela, embora amenizasse sua confissão, dizendo que era um amor de menino. Como isso ocorreu em uma conversa amigável e privada, sinto-me em dúvida se devo torná-lo público."

Embora o noivado e fuga entre os dois tenha ficado por conta do filme "amor e inocência",(2007) eu não acho improvável que o amor entre eles tenha sido profundo, pois não parece provável que, alguém que tenha escrito romances tão lindos, nunca tenha se apaixonado. 


Fontes:

Foto: Young Tom Lefroy, c1799 by G. Engleheart (new colour picture provided by Linda, who agrees that James McAvoy looks bloody like the young Tom Lefroy!)


6 comentários:

janezic_iugoslava disse...

Eles se amaram até o fim.... :/

Garota Interrompida disse...

Realmente é triste,eles não terem ficado juntos....

Romanzeira disse...

Olha, rolou um sentimento aí, sim. O cara despencar de Portugal até a Inglaterra pra prestar homenagens a uma mulher com quem ele teve apenas um flerte, vinte anos antes?! Ah, rolou um sentimento sim.

Thaluia Maria disse...

Percebe-se que realmente houve um grande amor entre os dois, pela forma como ela o descreve nas cartas, a homenagem que ele prestou a ela. Sem contar o fato de que a filha mais velha dele tenha se chamado Jane.. Não seriam coincidências de mais?... É uma linda história, apesar de não ter tido um final tão feliz..

Isabella Patricia Oliveira Madeira da Silva disse...

Vemos que há razões, não só históricas para que Jane enfatize o quão triste era para os casais suas situações financeiras e status sociais na interferência direta ao amor e casamento....tanto Jane ocmo sua irmã decidiram não abdicar do amor verdadeiro á uma casamento seguro.... com certeza os sentimentos dos dois foram muito fortes um pelo outro, e a partir de agora não tenho dúvidas disso....

edvanise braga de almeida pereira disse...

Estou encantada com a história de vida e igualmente encantada com o primeiro livro que leio dela. Certamente não será o único.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...